Polara

Polara


01-E aí Rafael, beleza? Primeiramente, apresente a formação do Polara hoje em dia.

O Polara, até o presente momento, sou eu (Rafael) na guitarra, o Mario na outra guitarra, Carlos no vocal, Sato no baixo, Fernando na bateria e nosso mais novo integrante, Cleber aka bad cluster nos teclados. Sim, nós temos teclado.

02- Vocês estão de disco novo, intitulado Tempestade Bipolar. Por que esse nome, e o mais engraçado, por que não tem letra no encarte?

Então, a idéia era não colocar nenhuma informação no disco, tipo uma coisa superconceitual, coisa de artista mesmo. Só que o Carlos quando fez a arte acabou colocando o nome da banda e o nome do disco na arte, dae já mudou o conceito, então a gente resolveu por só algumas informações, o resto vai estar no nosso site. ah o nome….

(Philip) – hehehhe o nome…

Então, o Carlos tava no Sul (ele é de Porto Alegre), e ouviu no rádio uma música regional que o cara cantava tempestade de paixão, dae aquela frase marcou porque era muito dramática e era um cara nada haver cantando aquilo, tipo musica gauderia, tá ligado? O bipolar veio nãoo sei bem como, mas era um termo que agente usava sempre, é um termo psiquiátrico, tipo pra dizer que alguém é bem loco, toscamente falando.

03- E pretendem cair na estrada para divulgar este disco?

Bom, a gente ta marcando alguns shows, tipo Mogi, Curutiba, Rio de Janeiro, Uberaba, mas ainda tem muitos lugares que a gente queria tocar e não rolou. Tipo sei lá, Nordeste, esses lugares assim agente queria muito ir tocar, mas é difícil.

04- As letras do Polara retratam problemas, sentimentos, e têm uma pitada metafórica. O disco continua assim? O que podemos esperar dessa tempestade?

A gente não tem uma formula pra fazer musica, mas acho que a gente tem o nosso estilo, acho que as musicas estão ficando mais sofisticadas, com arranjos melhores, com teclado agora, ta deixando de ser aquela coisa crua q era no split com o College, mas acredito que o estilo continua mesmo.

05- Sentimental é emo, Polara é EMO (risos)??

Bom, eu não tenho mais problemas com esse nome, não gosto de rótulos, mas as pessoas precisam deles para facilitar as coisas, então tudo bem. Mas nosso som está além desses limites, se você pensar que hoje em dia é considerado emo o CPM, o B5, sei lá.

06- O Poalara tem membros e ex-membros do Planet Hemp, Againe, Deluxe Trio, Hurtmold e por aí vai… Por que o Polara não usa desse portifólio para ser febre nacional?

Bom, eu não levo nenhum jeito pra marketing, acho q dessa lista só Planet Hemp poderia render alguma coisa, mas não é o caso, agente quer fazer musica num outro nível, não para que as pessoas vejam agente no Luciano Huck e queiram comprar nosso CD.

07- Aproveitando a deixa… não existe hipótese de o Planet Hemp voltar?

Não, o Planet não volta, faz parte do passado, teve a sua época, teve sua importância, mas agora são outros tempos.

08- Como esta o Rock independente na visão de vocês? Hoje em dia, bandas novas colocam cerca de 3000 pessoas em uma GRANDE casa de show… E vocês vêm de outro berço, numa época em que tudo era diferente….

Então, na época q eu comecei a Spicy e lançamos o primeiro cd do Againe em 97, as bandas q tinham tocavam em lugares p/ no máximo 500 pessoas, e isso eram as mairores bandas. Lembro da primeira tourne do Fun Peaple no Brasil, eles tocaram com o Garage Fuzz e com o Againe num lugar q cabiam 150 pessoas, era esse o tamanho do publico naquela época. A gente sempre acreditou que se continuássemos fazendo o que nos fazíamos, as coisas iam chegar num nível melhor, e de certa forma foi isso que aconteceu. Mas hoje em dia também apareceu muita gente (o que é bom) que vão aos shows, compram discos, e de certa forma sustentam a “cena”, mas muita gente que não tem muito critério também. Acho que antes o publico tinha mais discernimento, não existiam 500 bandas fazendo o mesmo tipo de som, as pessoas não eram tão guiadas pelo o que dizem sobre as bandas, ou pelo visual, ou pelo pano de fundo mais bombado. Veja bem, eu não acho negativo nem ruim que uma banda queira ter uma imagem, que queira ter uma produção melhor, mais caprichada, só acho que o som deve ser a prioridade, pelo menos se estamos numa cena punk/hardcore/ou qualquer nome que você queira usar. Seria bom que as pessoas tivessem atitudes, ou se comportassem como punks/hardcore ou qualquer outra coisa que nos diferencie do publico e das bandas que fazem parte do esquemão radio/mtv/gravadoras, que tentam padronizar o som e o comportamento das pessoas. que pergunta foda…

(Philip) Beleza, vamos para outra. Eu também acho isso complicado.

09- Como rolam os ensaios do Polara, já que você está no Rio e a banda em SP?

Então, ultimamente não tem rolado ensaio, a gente tem um monte de musica nova e não consegue terminar.

10- Você tem estúdio com o Bil do Noção de Nada, né? Foi lá que gravaram o disco? Ouvi uma pré de uma música nova… achei muito boa (quem não sabe está no tramavirtual.com.br/polara).

Na verdade a gente gravou o “tempestade bipolar” no rocha, estúdio do Fernando. Mas recentemente gravamos três musicas lá no estúdio, ainda não estão mixadas, mas da pra ouvir uma na tramavirtual, como você disse. O resultado ficou muito bom, acho que vamos gravar mais músicas aqui no estúdio no Rio, pelo menos é um jeito que descobrimos para ensaiar e terminar as musicas.

11- Qual dica você dá para quem está começando no rock hoje?

Eu falaria para alguém que gosta de musica que quer ser musico, que se você quer ganhar a vida como musico, melhor estudar e arrumar um emprego. Mas se você quiser fazer musica, quiser se divertir, quiser ter uma banda, quiser fazer um som que você acha que vai ser importante para alguém alem de você, acho q você nunca deve desistir de seus sonhos, por mais que alguém diga que você nunca vai dar em nada. Acredito em tudo que é feito com o coração.

RAPIDA

Musica: olerud
Show: show do Sonic Youth no Freejazz aqui no rio
Política: é um mau necessário, o mundo é política, a vida é política
Brasil: cara, a gente tem que ralar todo dia para fazer esse lugar aqui bombar
Hardcore/punx e afins: você escolhe como você quer viver, eu escolhi fazer as coisas desse jeito (do it yourself)
Spicy Records: preguiça
Polara: frenético
Ae, agora manda seu top5 de discos que você anda ouvindo:

Esses são os de sempre:
Cap’n jazz – analphabetapology
Braid – age of octeen
Sleater Kinney – dig me out
Seaweed – spanaway
Superchunk – foolish

E valeu Rafael, valeu Polara… Sempre sucesso para vocês!!! Fiquem a vontade… (escreve o que quiser, abraços ou qualquer coisa haha)

Queria dizer que eu, a gente, é mó gente fina, que se a gente colar aí na sua city, é pra tratar a gente bem, levar pra dar role, apresentar umas minas.

LINKS DO POLARA:

WWW.TRAMAVIRTUAL.COM.BR/POLARA
WWW.FOTOLOG.NET/POLARA
WWW.POLARA.COM.BR

CLIQUE AQUI PARA VER OS PRODUTOS DO POLARA