Rodrigo Lima (Dead Fish)

Rodrigo Lima (Dead Fish)


E aí meu cumpadi Rodrigo, tudo certo? Como anda essa força, que agora está mais paulista que capixaba rs*??
Tá tudo bem, eu gosto daqui pra caralho cara, ter opções pra tua vida é bem legal. Aqui se você não é tão fudido, as tem.

Cara, e o Dead Fish como está? O CD novo está sendo bem falado… O que você achou dele?
Está bem cara, estamos entrando num ritmo de shows bom agora, o que me deixa feliz porque gosto de estar na estrada. O cd eu já tive vários sentimentos, no começo achei, sei lá, música pra cassete e um pouco menos de rispidez, depois de um mês passei a gostar pra caralho (isso antes de sair o cd, já tem quase um mês que saiu), agora penso que, apesar de termos nos esforçado muito, ainda não é o que desejava, não queríamos nos repetir em alguns aspéctos e acho que nos repetimos. Eu sei que é bem complicado numa banda de 15 anos não se repetir no 6º trampo, mas foi uma ótima tentativa, gosto de várias músicas mais lentas, gosto da forma que foi produzido com calma…

Mas então você acha que o futuro do Dead Fish é seguir essa pegada mais lenta… mais para AFASIA do que para SONHO MEDIO?
Nunca sabemos, não é legal ficar prevendo. Somos uma banda que quer sempre acrescentar coisas ao som. Eu necessariamente não quero mais o HC tão rápido, talvez queria algo mais pesado, quero aprender a tocar algo também, ajudar a compor. Mas é uma banda de 5 figuras que sempre dão opinião, que sempre querem botar as vontades pra fora e isso funciona bem a bastante tempo.

Mas não é pelo fato da mídia/major sempre nadar a favor de hits e músicas lentas e grudentas? Rs*
Não mesmo, o Zero e Um foi um cd que não teve estes hits tão grudentos e foi um cd que foi bem. Quando estava gravando este cd eu já percebi que perguntas como estas iriam acontecer, é dificil tentar convencer as pessoas que fazemos o que queremos porque a maioria não faz o que quer, mas é exatamente isso que temos na Deck, liberdade pra fazermos o que bem entendermos do nosso som.

Para você como é toda essa onda de Independente x Major x Mídia? Você sente falta do independente ou está bom todo esse acesso que o Dead Fish está tendo na mídia, que traz como conseqüência números maiores?
Cara estas divisões começam a acabar. Com as mídias novas isso vai acabar em breve, tudo vai ficar mais misturado. Claro que as majors sempre vão botar o poder econômico pra rufar, mas como dizem, esta é uma sociedade de economia de mercado né? Quem pode mais chora menos.
Você fala números maiores de venda?

É, e de público também.
Vendemos 13 mil cds a mais na Deck do que na Terceiro Mundo quando a tínhamos. Eu acho que valeu a pena mesmo, mas as gravadoras independentes podem chegar lá fácil, lembrando que o cd já não uma mídia muito de confiança.
Publico? Eu acho que tocamos pra publico grande em grandes festivais. Nos menores o público cresceu uma porcentagem não muito grande, talvez tenha ficado mais novo em alguns lugares.

É, os shows… um número maior de pessoas conheceram o Dead Fish.
Sim, sem dúvida. Se fossemos pra Manaus em 2002 seria bem diferente do que foi na semana passada: o cara de lá tem acesso a net, mas nem todos. Se não tivessem visto nosso clipe numa tv aberta que é a Mtv o show não seria tão brutal como foi. Nego ficou esperando a gente até as 5 da matina e ainda quase implodiram o local.

Eu tenho uma grande dúvida ainda sobre o que você pensa sobre niilismo.
Eu fiz do niilismo algo meu, é bem isso que a idéia passa. Tudo começou com uma brincadeira entre amigos em Vitória. Quando tudo começou a despencar, fizemos deste pensamento algo bem humorado, zoavamos com tudo, não era nada neve e depressão, era divertido, sendo sempre no momento vivendo o presente. Foi divertido, não convivo mais com os caras do clube, as coisas mudaram mas foi tudo muito sem crise sem choro, seguimos nossas vidas, nossos momentos, muitas coisas que zoavamos acabamos fazendo e isso era previsível e demos risada. Alguns foram trabalhar numa empresa multinacional careta, outros continuaram na vida acadêmica, outros se casaram. Acabamos fechando o ciclo dando risada de nós mesmos.
Acho que niilismo pra mim sempre foi isso, dar risada de si mesmo, ver dogmas destruídos, coerências virando incoerências, etc, etc…

Mas e o bom e velho Marx e outros pensadores e revolucionários, foram deixados de lado? Letras como “Comprar” são quase um “O CAPITAL” do hardcore hehehe…
Hehehe… é verdade!! Guardando os exageros… Marx foi importante e ainda é na minha vida, mas o lance de política partidária foi-se a muito, aprendi ainda na faculdade que gente e poder dá quase sempre na mesma coisa, mas eu acredito que vivo uma vida boa, conseguindo seguir umas idéias que tive quando mais guri. Claro que você muda e isso é bem bom, mas não me sinto um consumista, a propaganda não consegue me pegar pelo pé. Vivo com uma quantidade razoável de grana, gasto com música e com livros (isso eu faço questão e todos deveriam gastar com isso), sou pouco consumista, odeio carros. Morando em SP passei a detestar carros e trânsito e CETs da vida… Definitivamente pago minhas contas, sou limpinho, separo meu lixo, acredito em liberdade sexual e de expressão, em vegetarianismo e humor.

Pausa na entrevista para o almoço

Fui ali no restaurante e gastei R$4,5 no PF e você, como foi seu almoço?
Fiz minha própria comida. Olha o Marx aí, você sai dele mas ele não sai de você, tipo o gueto hehe.

E estamos chegando perto das eleições, você continua a acreditar no Lula?
Eu não votei nele na última, mas como todo mundo confesso que botava uma puta fé no cara. Eu já não votava, hoje menos ainda. Acho que temos que encontrar alternativas pra democracia participativa do jeito que é hoje, eu não voto mais faz um tempo, mas só fazer isso não adianta… Acredito em algo mais micro, mais eu, você e teu vizinho, menos burocrático, menos corrupto, menos lento.
O Estado não cumpriu com nada que prometeu, já chega, muito dinheiro e carne de gente moída no processador da burocracia e da corrupção.

Punks! Hehehe
É pode ser, você interpreta como quiser. Eu conheço uns velhinhos que tem idéias concretas sobre isso bem legais também, e eles tem casa, família e até emprego. Pode ser mais simples e corriqueiro, como administrar uma horta comunitária ou uma escola cooperativa.

Tu sente falta do Espírito Santo e da vida que tinha lá? A família ficou e hoje estão formando a vida e familia aqui… Pretendem ficar?
Eu não faço planos, eu pretendia ficar uns 2 anos em SP e já estou faz mais que isso, quase 3. Eu sinto falta das facilidades de morar no ES que nego lá não se liga , como poder se mover com facilidade sem ser de carro, a cidade ser menor e com menos treta de trânsito, ser uma cidade com desigualdades mas não tão extremas como aqui, dos meu velhos amigos, eles fazem falta pra caralho, eu os via todos os dias praticamente, aqui é mais complicado ver um camarada com freqüência. Mas como eu sempre digo eu amo esta porra de cidade, moro num lugar sensacional ao meu ver, tirando o preço do aluguel claro, o centro de SP me incentiva a escrever, tem diversidade, ninguém toma conta da tua vida, se você quer ir comer vegetariano tem uns 6 em volta de casa, se quer ver cinema cabeção pode ir se quer ir ver filme blockbuster também dá… Eu me sinto com alternativas de vida, me sinto bem aqui, infelizmente por hora o paulistano vai ter que aguentar minha cara andando pela vizinhança que sinceramente amo, craqueiros, mendigos, skins e noínhas a parte.

Tu falo de gastar grana com livros e cds…..o que você andou comprando ultimamente?
Eu comprei uns Dostoievsky (nem sei se é assim que escreve) comprei uns cds de ska que tou ouvindo aqui velhos, e uns Hurtmold que faltavam na minha coleção. Comprei toda coleção da baderna que me faltava de uma vez só, numa promoção. Dostoievski, como se fala.

E como anda o coraçãozinho do Rodriguinho??? (hahahahahaha essa pergunta é a melhor do mundo!!!)
hahahahahahaha que foda!! Demais hahaha
Batendo firme e forte, saudável e vegetariano, cinza e agressivo quando tem que ser, dono das próprias batidas eu diria há

E os planos para o futuro quais são, tanto banda como pessoal?
Como te disse não faço planos pra nada, mas eu queria fazer mais uns cds com o Dead Fish mais diferentes. Não sei se é possivel mas quem sabe… Queria ir viajar mais ainda com e sem a banda conhecer mais lugares, tocar em mais lugares.
Talvez eu queria daqui um tempo abrir uma parada minha como você tem a tua, escrever algo também.

E de terno e gravata toparia?
Não mesmo. Prefiro ganhar pouco e viver mais. Eu já tive oportunidade de viver isso aí… Não é pra mim.

Agora eu falo uma palavra e você responde bem répido o que acha dela, tipo a Xuxa ok? (boa inspiração né?)
Tipo ping pong? Hehe sempre quis responder perguntas assim.

Show: Manaus agosto de 2006 o último
Dead Fish: Minha vida desde 90 como o hardcore até 98
Viver: Aqui e agora, momento, fazer o que quer sem esperar muito de nada nem ninguém
Um livro: O anticristo – niti / Demian – Herman Hesse / um monte depende do momento
Obrigação: Pagar cpmf, ter um presidente, falar com quem nem sempre quero, pagar aluguel e mais um monte de merda rotina
Carne: é crime hehehe, gosto de ver as meninas, nem sempre com olhos muito cristãos he

Ok Rodriguuuuu… vamos ficar por aqui se não vai longe nosso papo. Hoje agente termina na balada doida/punk/violenta heheheh… Valeu mesmo! A Ideal pode-se dizer que deve muito ao Dead Fish, a Terceiro Mundo! Sempre seremos fãs de tudo e de todos vocês. Haha tu sabe né? Fique a vontade e fale para esse rockeiros tudo aquilo que ele devem ouvir vai: rs*
Xiiii…. Respeitem suas mamães, lavem atrás das orelhas, durmam sempre 8 horas por dia, não votem, matem quem te mata, tome uma atitude tome Dan up!!
Sou teu fã também pela perseverança e honestidade.
Sinta-se beijado na boca!! Hahahaha

Clique aqui para ver os produtos que temos relacionados ao DEAD FISH.