O Malni vem vindo aí.


O Zazá (quem não conhece, conheça-o aqui) conseguiu a façanha de tirar Marcelo Malni da lagoa Rodrigo de Freitas para fazer 2 shows em São Paulo. Fato raro, digno de uma entrevista. Zazá entrevistou o próprio Malni para esquentar a galera para os shows.

Ah, você não conhece o Malni? Tá de vacilo! Ele é o cara por trás dos baixos da finada banda Noção de Nada. Sim, aquele que canta “Ah, se os bares de Copacabana, tivessem lugar pra minha banda…” entre outras.

No final do post colocaremos os cartazes do show, com todas infos para você (bem vestido, por favor) comparecer aos shows.

Conte um pouco como surgiu a banda? Quando, onde, quem toca?

A banda surgiu em 2008, com o fim da minha antiga banda Noção de Nada. O Malni começou como um projeto pessoal. Eu tinha algumas músicas que iriam ser do NDN, mas com o fim da banda, resolvi gravar esses sons com meus amigos músicos. Fui gravando aos poucos, música por música lá no Superfuzz, com formações diferentes. O EP mesmo só ficou pronto em 2009 e os primeiros shows foram com o Gabriel Arbex no baixo e Leo Mitchell na bateria (ambos do
Zander). Depois dessa formação Marcus Menezes (ex Sorry Figure) no baixo e Zé Leandro na bateria. Gravamos “Lei Seca” e “Sem saber”.

A banda se apresenta pela primeira vez pelo interior de São Paulo, certo? Qual a expectativa de vocês
para os shows de 26/04 (Santo André) e 27/04 (Campinas)? Alguma surpresa ou novidade preparada
para essas apresentações?

A expectativa é não fazer feio, tocar direito e ver a reação da galera. Como é a primeira vez que vamos tocar nas 2 cidades, fica sempre aquela pergunta na cabeça “como é que é o lugar dos shows?” “Como que a galera vai reagir?” “Que cerveja neguinho bebe em Campinas?” e esse tipo de curiosidade aleatória. Sobre surpresas para esta tour? Talvez alguma música das antigas, algum cover.

Recentemente vocês disponibilizaram algumas músicas inéditas na internet. Podemos esperar algum
material físico novo lançado ainda esse ano? CD, Vinil…

Material físico acho muito improvável. Fiz um Soundcloud para colocar tudo que a gente grava lá. Então para saber do Malni, vai tá tudo concentrado no Soundcloud e na página do Facebook. A ideia é gravar coisas novas esse ano, mais um EP talvez.

Quais são as influencias da banda? O que você tem escutado atualmente?

A galera toda curte muito Descendents, Husker Du, essa onda punk bonitona né. Tem o Black Flag também, que eu roubei a logo! E eu tenho escutado: Karate, DK, Medications, Social Circkle, Dinosaur Jr, Lemonheads, Moving Targets, Ramones, Superchunk, Seaweed, Giant’s Chair, Braid, hey Mercedes, Go Kart Go!, Bad Brains, Thelonious Monk, Horace Silver, Wes Montgomery, Lester Young, Cecil Taylor, Rio 65 Trio, Os Copa 5, Dexter Gordon, Charles Loyd, Wayne Shorter, Yusef Lateef, Som 3, Sambrasa, Hurtmold, Againe, Polara, Singletree, Céu, Bob Marley, Skatalites, Ethiopians, King Tubby, Operation Ivy, Hepcat … cara, são muitas bandas, muitas!

Fora a música você também tem um excelente trabalho como artista plástico e ilustrador. Conte um
pouco mais sobre esse trabalho.

Eu era um moleque que gostava de desenhar, ficava copiando gibi do Geraldão, Chiclete com Banana, Tartarugas Ninja.
Eu era criança e convivia entre Geraldão e Turma da Mônica. Eu não entendia 90% dos quadrinhos do Angeli e Glauco,
mas aquilo me fascinava mesmo assim. Como eu sempre gostei de desenhar, na hora de escolher o que “fazer da vida”, escolhi o curso de desenho industrial. Me formei e hoje em dia eu trabalho com Direção de Arte e continuo pintando, principalmente digitalmente. Tenho um Tumblr com meus desenhos (malni.tumblr.com)

Impossível não relembrar da banda Noção de Nada, que você participou do final dos anos 90 até a
segunda metade dos anos 2000, e que se tornou para alguns uma das banda mais clássicas do hardcore
nacional! Como anda a relação entre vocês desde o final da banda? Há algum plano, ideia ou vontade de uma volta ou reunião da banda?

O Noção de Nada foi minha primeira banda, montei ela com o Bil quando tínhamos uns 12 anos de idade, sou muito amigo da galera que tocou no NDN, e tenho muito carinho pela banda. Eu tenho vontade de fazer um reencontro da banda, acho que não pra voltar definitivamente, mas pra se divertir e fazer alguns shows, gravar. Sou saudosista e ficaria feliz em tocar aquelas músicas de novo, tipo ver uma foto antiga saca? Relembrar coisas. Mas a galera do NDN nunca conversou sobre isso, mas quem sabe um dia.

E como anda a cena carioca? Bandas, shows… O que tem rolado (ou não) de bom por ai?

Vai ter o Rock in Rio né, (risos) sacanagem! Tenho a impressão que a cena punk/hc/rock aqui do Rio é bem menos ativa que a do resto do Brasil, acho que o Rio é muito samba, mas sem problema, o Rio sempre foi assim mesmo. Isso não quer dizer que o Rio está morto no cenário Rock, temos muitas bandas legais aqui: Os Estudantes, Plastic Fire, Zander, Nipshot (que eu toco também), Jason, Os vulcânicos, 2 portas, Lê Almeida, Barizon, StripClub, Menores Atos, Incendiall. Tem a Audio Rebel aqui na Zona Sul pra salvar o rock, tem a casa do Luhan em Campo Grande, a Planet Music, o Elam reabriu pra show, ou seja, acho que estamos voltando a ter mais espaços pra tocar aqui na cidade.

Fora o Malni você também toca em outras bandas e projetos. Conte um pouco sobre eles.

Melhor que descrevê-las, é escutar e tirar suas conclusões: Wynona (myspace.com/wynonarock), Mongolian Grill (tramavirtual.uol.com.br/mongoliangrill), Nipshot (nipshotcrew.tumblr.com), lele Gins, Marte, Bebe Ostra (bebeostra.bandcamp.com).

Fora esses projetos e bandas que tem nome, música pra baixar, etc. eu vivo tocando com meu mestre Edu Sodré (Nipshot, Os Outros, Barizon, ex Noção de Nada…), a gente vive improvisando, isso é muito bom. Sou bem viciado em música!

Espaço para você falar o que quiser.

Obrigado Zazá pela entrevista, pra quem leu e se interessa pelo nosso som, valeu! Queria convocar todo mundo para
esses 2 shows em Santo André 26/4 e Campinas 27/4, porque a gente promete um show classe A! É isso! Abraços!

Para ouvir MALNI:

https://soundcloud.com/malni

Santo André – 26/04
http://www.facebook.com/events/229276210547660/?ref=ts&fref=ts
Campinas – 27/04
http://www.facebook.com/events/599025216792447/?ref=ts&fref=ts